Bitcoin em crise atinge o menor preço desde dezembro de 2020

Tanto o Bitcoin quando outras moedas digitais sofreram um grande revés nesta última semana. O motivo de pânico dos investidores tem origem em um movimento da empresa de empréstimos de criptomoedas Celsius, que congelou os saques e transferências entre contas. O mesmo foi feito pela Babel Finance de Hong Kong e até a gigante Binance, todos por dificuldades em pagar seus clientes após a forte queda na cotação. Para aumentar a incerteza, há relatos de que um hedge fund teve problemas e outras empresas do setor fizeram demissões.

Bitcoin
Bitcoin

No sábado (18) por volta das 15:30 (Brasília) o Bitcoin, que tem o status de criptomoeda mais conhecida do mundo, bateu nos US$ 18.430,00, o menor valor desde dezembro de 2020, uma desvalorização de 10,8% em apenas 24 horas e 36,1% acumulados em uma semana, de acordo com o CoinGecko. Ao longo de 2022, a queda já chega a 59%.

O pico da valorização do Bitcoin foi em novembro de 2021, quando a criptomoeda chegou aos US$ 68.000,00. Entretanto, sendo dados da Bloomberg, de lá para cá já são 70% de desvalorização. Edward Moya, analista de mercado sênior da Oanda, explica: “O valor estar abaixo de US$ 20 mil mostra que a confiança na indústria cripto entrou em colapso e que você está vendo as tensões mais recentes. Há muitas moedas e transações cripto que estão sob tremenda pressão financeira, devido aos custos de empréstimos”.

E o futuro do Bitcoin?

Segundo Humberto Andrade, trader do MB, há possibilidade de níveis de preço ainda menores ao longo da próxima semana: “Não podemos dizer que houve qualquer sinalização de que o movimento de alta está perto de retornar. Existem perspectivas de que podemos testar fundos ainda maiores, vamos acompanhando o fechamento do candle semanal”.

Leia também: Renault Kwid E-Tech – Elétrico faz sucesso e esgota na pré-venda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.